Jogos independentes produzidos no Brasil

Escrito por Andre Pezzino

Atualizado em 05/06/2015 - 10:33

Jogos independentes produzidos no Brasil

Feira contará com o dobro de expositores no “Pavilhão Indie”, espaço dedicado à produção nacional

Para apresentar seus cases de sucesso, desenvolvedores independentes estarão presentes na Brasil Game Show (BGS), que acontecerá entre os dias 08 e 12 de outubro, no Expo Center Norte, em São Paulo. Na contramão da economia brasileira, produtoras de games estão crescendo e se destacando no cenário mundial.

Já em 2014, seu primeiro ano, o “Pavilhão Indie” fez sucesso no Evento e garantiu aos expositores presentes o fechamento de inúmeras parcerias e novos projetos. Para 2015, a área dedicada a estas empresas será ainda maior e já tem garantido o dobro de participantes da edição anterior. Ao lado de alguns dos mais famosos nomes do mundo dos Games, os desenvolvedores independentes reforçam a importância da Brasil Game Show para o cenário nacional e já mensuram o retorno de participar da Feira. Conheça mais sobre alguns “Indies” já confirmados para a BGS 2015:

 

Jogo brasileiro para PlayStation 4 e Xbox One

Duaik Entretenimento,que surgiu em 2010, em São Paulo, quando os irmãos Pérsis e Ricardo Duaik decidiram montar uma pequena empresa desenvolvedora de jogos próprios, participará da BGS pelo segundo ano consecutivo. Sobre sua participação em 2014, Pérsis destaca: “A experiência foi fantástica e tivemos uma cobertura da mídia que não seria possível sem este tipo de exposição. Hoje, a BGS é um Evento obrigatório em nosso calendário, tanto na parte de produção e divulgação do nosso trabalho, quanto na realização de negócios”. “Atualmente, Aritana e a Pena da Harpia é nosso projeto mais famoso, ganhando prêmios ao redor do Brasil e recebendo reconhecimento internacional ao ter a chance de aparecer em grandes consoles do mercado, como o Xbox One e o PlayStation 4. A BGS é uma imensa oportunidade para conhecer melhor o jogador e o jogador conhecer melhor a produção de um jogo e opinar de perto nos produtos nacionais junto com os desenvolvedores”, ressalta Pérsis.

 

Curso no Canadá promove encontro de talentos, que se uniram por uma boa causa

Durante um curso de Game Design no Canadá, dois alunos brasileiros perceberam que a paixão pelos games poderia levá-los longe. Assim, nasceu a Digi Ten Studio. Hoje, com novos parceiros para atender a demanda específica de cada projeto, a Digi Ten investe no principal, o “Dig a Way”, jogo de puzzle/ação para smartphones e tablets. De olho no Evento desde 2013, a empresa fez sua primeira participação na BGS em 2014, quando, segundo Davi Costa, um dos Sócios-Fundadores, a aceitação do público e os contatos que fizeram foram fundamentais para seu negócio.

“Participamos da BGS 2013 como visitantes. Ao perceber o potencial da Feira, decidimos ali mesmo que no ano seguinte teríamos nosso próprio estande. E foi isto que aconteceu! Em 2014, expusemos o Dig a Way no Evento, e a aceitação e contatos que fizemos foram realmente cruciais para o nosso negócio. Através da nossa participação na BGS, tivemos uma exposição na mídia, tanto em TVs, sites, e canais do YouTube, que nos foi muito valiosa. Também prezamos muito pelo network feito lá com clientes, parceiros de negócios e outros desenvolvedores indies como nós, que compartilham experiências, dicas e contatos”, revela Davi.

 

Fomentar a indústria brasileira com jogos autorais

Reload Game Studio, empresa de jogos de São Paulo, surgiu em 2011, após diversas conversas entre dois amigos, ex-colegas de classe do curso de Game Design. Ambos tinham a visão de fomentar a indústria brasileira com jogos autorais e decidiram investir na ideia.

Para Leandro Carlos, Game Programmer da empresa, a BGS é o momento ideal para fazer contato com o público, receber um feedback direto e expor seus projetos: “Nós da Reload Game Studio ficamos muito orgulhosos de nossa última participação na BGS, e, para 2015, nosso foco será trazer novidades e agradar ainda mais o público!". “Em 2015, nosso objetivo é mostrar jogos rodando nas plataformas da Sony (PS Vita e PS4), além de novos projetos”.

 

Sucesso e previsão de lançamento na Steam

Garage 227 Studios foi formada em 2014 por três instrutores de uma escola de games com o objetivo de desenvolver jogos independentes e produzir conteúdo para outros estúdios da mesma área. Atualmente, o principal projeto da empresa é o jogo Shiny, com lançamento previsto para Junho deste ano na Steam (PC, MAC e Linux) e Xbox One. 

Já em 2014, em sua primeira participação no Evento, a Garage 227 pôde sentir o retorno do público e mídia, que permitiram, inclusive, o fechamento de negócios e parcerias. Para 2015, Daniel Monastero, Sócio-Fundador da empresa, afirma que a expectativa está ainda maior: “A BGS é de extrema importância para nós! Grande parte dos nossos esforços de Marketing e Relações Públicas se concentram nesse grande Evento, onde podemos mostrar nossa empresa e jogos para o mercado e para os consumidores”.

 

Professores de curso se unem para formar empresa

Odin Game Studio, que já desenvolveu mais de 20 advergames e apps em geral, participará do Evento pela primeira vez, buscando parceiros para futuros e atuais projetos e o reconhecimento nacional como empresa desenvolvedora de jogos digitais. Alexandre Kikuchi, Co-Fundador e Diretor Executivo da empresa, ressalta a importância da BGS nesta busca: “Chegou a hora da Odin se expor mais, mostrar que nosso pequeno estúdio está crescendo e que nossos projetos têm um futuro também no Brasil. Estamos focando também no público brasileiro e acreditamos que a BGS 2015 vai ajudar muito nesta conquista”.

 

Amigos investem em ideia promissora e resultados surpreendem

Overlord Game Studio, estúdio independente de desenvolvimento de jogos com sede na cidadedo Rio de Janeiro, que surgiu de uma ideia entre amigos, tem como principal objetivo a criação de jogos com alma e paixão. Responsável pelo game “Tiny Little Bastards”, um jogo de plataforma em 2D que conta a história de um taverneiro Viking em um mundo fantasioso povoado por personagens inspirados em diversas culturas e mitologias (África, China, Celtas, Vikings), a empresa também está com grande expectativa para sua estreia na BGS: “Levar a Overlord Game Studio à Brasil Game Show é um antigo objetivo nosso. Só temos a ganhar nesse novo capítulo da história do nosso estúdio e estamos prontos para mais esse desafio!”, ressalta João Requião, Co-Fundador da empresa.

 

Proposta de diversão era seu principal objetivo

VOID Studios, empresa que surgiu em 2014 através da reunião ideias e objetivos em comum de desenvolvedores que se conheceram através de uma escola de games, está focada em desenvolver entretenimento digital através de seus jogos para PC, Console e Mobile (iOS e Android). Para isso, sua presença na BGS 2015 é fundamental, destaca Luiz Ricardo, CEO, Level Designer e 3D Artist da empresa: “Jogos indies têm ocupado cada vez mais espaço no mercado e a VOID Studios estará na BGS 2015 para mostrarmos o potencial dos nossos jogos".

Segundo Luiz Ricardo, a VOID Studios estará na BGS 2015 apresentando seu principal projeto para este ano, o Eternity, um jogo de RPG baseado na mitologia nórdica, que trará uma jogabilidade diferenciada e tema envolvente. Além disso, outros jogos serão apresentados.

 

Desejo de criar jogos acessíveis e divertidos

Streamy surgiu, entre outras coisas, do grande desejo de criar jogos acessíveis e divertidos. Localizada em São Paulo, capital, a empresa existe desde 2013 com o objetivo trazer games de alta qualidade e acessíveis a todos. Seu primeiro game é um MMORPG inteiramente 2D para PCs chamado Bloodstone: The Ancient Curse.

Em 2015, a Streamy fará sua primeira participação na BGS e a expectativa é grande. Reginaldo Tenório, Consultor de Marketing e Roteirista da empresa, ressalta a importância desta participação: “A BGS é o local certo para exibirmos nosso jogo, a Feira referência da América Latina, onde mostraremos, em primeira mão, o belo jogo que estamos desenvolvendo”. Segundo ele, o objetivo da empresa é conseguir o máximo de visibilidade e mostrar, de maneira geral, que é possível, sim, criar games de qualidade o Brasil.

 

Para mais informações: http://www.brasilgameshow.com.br